Morte de homem com leishmaniose visceral na região de Feira de Santana deixa moradores de Coração de Maria preocupados

Um homem de 44 anos está internado com leishmaniose visceral,
doença conhecida como calazar, no Hospital Clériston Andrade, em Feira de
Santana, cidade a cerca de 100 quilômetros de Salvador.

De acordo com a vigilância epidemiológica de Feira de
Santana, este é o segundo caso na região em 2018. No primeiro caso, outro homem
morreu. Ele morava no distrito de Maria Quitéria, também em Feira de Santana,
considerado pela saúde pública uma área de risco para a doença.

A leishmaniose não é contagiosa, nem é transmitida
diretamente de uma pessoa para outra. Também não é transmitida de um animal
para outro, nem dos animais para as pessoas. A transmissão do parasita ocorre
apenas através da picada do “mosquito palha” fêmea.

Os principais sintomas são febre alta com semanas de duração,
fraqueza, perda de apetite, emagrecimento, anemia, palidez, aumento do baço e
do fígado

Em Coração de Maria , alguns moradores estão preocupados com a
grande quantidade de cães nas ruas , já que os cachorros são hospedeiros do
protozoário que causa a leishmaniose visceral.

“A gente não cria cachorro, mas os cachorros das pessoas
ficam na porta da gente. Aí fica todo mundo com medo”, disse a lavradora
Célia Santos.

Entretanto, a preocupação aumentou no distrito de Maria Quitéria
em Feira de Santana  depois que um
morador morreu  , o agente de portaria
Antônio Cesar Silva, de 34 anos, morreu vítima do Calazar. Ele começou a sentir
os primeiros sintomas da doença em novembro do ano passado.

Antônio Cesar ficou internado por 15 dias em uma Unidade de
Pronto Atendimento (UPA), foi transferido para o Hospital Clériston Andrade, e
morreu na madrugada da última sexta-feira (26).

admin