Coração de Maria vai iniciar a 1ª Etapa da Corrida de Orientação

A Federação Baiana de Orientação e a Associação Caatinga Trekkers convidam a família orientista para a etapa de abertura do Campeonato Baiano de Orientação 2018, que será realizado no município de Coração de Maria, no dia 18 de março de 2018. A etapa é válida para o ranking baiano e brasileiro.


A coorida de Orientação é um esporte, que como o próprio nome diz, envolve orientação por mapas e outros fatores

A prova será realizada na zona rural do município de Coração de Maria, distante 32 km de Feira de Santana e 111 km de Salvador. Fica proibida a realização de treino e/ou competição de Orientação no município. Exceção feita ao Percurso Treino, que já foi feito no dia 11 de março.

As inscrições serão feitas na página da FBO, no link www.fbo.esp.br/evento/364


Aspecto dos Distrito de Coração de Maria


Os aspectos históricos do Município de Coração de Maria se estabelecem a partir da existência de um povoado na fazenda pertencente a Bento Simões, no meado do século XVIII, conhecido por “Lajes”. Em 1848, João Manoel da Mata, Macrino Simões Ferreira e Antônio Fidelis de Cerqueira Daltro, por serem devotos construíram uma capela coberta de palha, onde hoje está localizada a sede do Distrito de Itacava.


Essa capela foi consagrada ao Santíssimo Sagrado Coração de Maria, que foi anexada à freguesia do Santíssimo Sagrado Coração de Jesus do Pedrão, a partir daí, o fluxo de pessoas em reuniões religiosas favoreceu o progresso da região. Em meados de 1848, com a chegada do jesuíta Frei Paulo de Carnicalle, houve o incentivo a construção da igreja Matriz em substituição à capela já existente, a qual foi elevada em 1853 a Freguesia e a Distrito de Paz, com o nome de Santíssimo Sagrado Coração de Maria.


O arraial sede dessa Freguesia foi elevado à vila em 10 de março de 1891 por força do Decreto nº 199. O Município de Coração de Maria foi instalado no dia 10 de março de 1891, por força do decreto estadual de nº 199, assinado pelo Governador baiano José Gonçalves da Silva. Sua instalação foi resultado do reforço e da influência política do Senador estadual José Félix de Carvalho, Coronel da Guarda Nacional, que se tornou seu primeiro chefe e dirigente político, até 1906, data em que foi inaugurada a chamada “Era dos D’alto”. Originalmente, o município mariense compreendia uma extensão territorial bem maior.


De acordo com os limites estabelecidos por ocasião de sua instalação, o município foi formado por terras eclesiásticas da antiga freguesia do SS. Imaculado Coração de Maria e terras do distrito de Nossa Senhora de Oliveira dos Campinhos, desmembradas do Município de Santo Amaro da Purificação e do distrito de São Simão, estas desmembradas do Município de Nossa Senhora da Purificação dos Campos do Irará, o que demonstra a força política que o Coronel José Félix de Carvalho detinha no então Senado Estadual. Mas, a força e influência política do Coronel José Félix começaram a demonstrar sinais de desgastes no final do século XIX e início do século seguinte. Em 18 de julho de 1877, o então governador baiano, Luís Viana, assina a Lei nº 181, devolvendo Oliveira dos Campinhos ao município de Santo Amaro, em 15 de julho de 1905, o governador José Marcelino de Souza devolve São Simão ao município de Irará.


O município mariense torna-se insignificante uma vez que sua extensão territorial passou a compreender apenas as terras doadas por Antônio da Costa Pinto e mais uma pequena extensão daquilo que foi tomado da antiga Sesmaria de São Bento do Inhatá. O formato atual de Coração de Maria foi determinado, apenas a partir de 19 de agosto de 1914, através da Lei de nº 1057, assinado pelo então governador José Joaquim Seabra que restituiu ao município mariense o distrito de São Simão, situação esta que permanece até os dias de hoje.


Esta restituição foi em decorrência dos acordos políticos firmados entre o intendente municipal Abílio Pereira de Cerqueira Daltro em sua luta para continuar controlando a região. A vila recebeu categoria de cidade em 30 de março de 1938, porém, em 31 de dezembro de 1943 o município foi extinto por um Decreto-Lei Estadual, sendo o seu território anexado ao Município de Irará. O município foi restabelecido pelo Decreto-Lei Estadual nº 12.978 de 1º de junho de 1944, com o nome de Coração de Maria, composto pelo Arraial do Retiro e do Distrito de Itacava.

admin