Após afirmações da presidência da APLB de que não haverá greve de professores, Secretária de Educação de Coração de Maria fala sobre expectativas para 2019

Durante a abertura dos trabalhos na Câmara
Municipal de Coração de Maria, o Panorama Geral 1 entrevistou a Secretária de
Educação Islomane Viana sobre os principais desafios do município para a área
neste ano e, principalmente, sobre a implementação da Gestão Militar
Compartilhada no Colégio Municipal Manoel Novais.

Segundo a secretária, o município enfrenta uma
série de dificuldades na educação e que a intenção que a Prefeitura tem, agora,
é de fortalecer os espaços de ensino, oferecendo melhorias na infraestrutura,
na medida em que o orçamento realmente permite, além de garantir uma educação
de qualidade para toda a população mariense.

Na ocasião, a presidente da Associação dos
Professores Licenciados do Brasil (APLB) em Coração de Maria, Vilma Pacheco,
estava presente e disse que, por enquanto, não havia expectativa de greve de
professores na rede municipal. Quando questionada sobre o tema, Islomane Viana
destacou a importância desta não interrupção das aulas para o processo de
educação.

“Greve é uma situação legítima que o
servidor pode, sim, estar fazendo nos espaços, assim que seus direitos sejam
feridos. Mas nós estivemos um diálogo, um papo, uma reunião extensa, onde nós
afinamos qual é realmente a meta da gente em 2019, que é garantir uma educação
de qualidade e isso passa pelo crivo da não interrupção das aulas. Isso passa
pelo crivo de que todas as instâncias, seja ela Conselho, seja ela o próprio
sindicato, representação da categoria, e o Executivo, consigam entender qual é
o bem maior, que o objeto maior é realmente uma educação de qualidade
crescente”, ressaltou.

A secretária também aponta o que ela chama de
“revitalizações” e adequações que algumas escolas da cidade passaram
em sua infraestrutura. Viana afirma que o Município elegeu algumas prioridades
e aquela escola que tinha necessidades específicas, de acordo com uma série de
critérios, era contemplada.

Com relação ao transporte escolar, Islomane
Viana acredita que esse é um dos maiores desafios de um município com a
dimensão que Coração de Maria tem, com os níveis e propostas de licitação que
tem. “O transporte foi e continua sendo o maior desafio, mas nós estamos
assim com um olhar muito atento e voltado pra tentar solucionar esse
problema”, diz.

Implementação do Colégio Militar

No início deste ano, o Colégio Municipal Manoel
Novaes passou a adotar o modelo de Gestão Militar Compartilhada, a partir de um
Convênio de Cooperação Técnica entre a Polícia Militar da Bahia e a Prefeitura
de Coração de Maria, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura.





De acordo com a
secretária Islomane Viana, desde dezembro de 2018 o município começou a fazer
todas as negociações exigidas: “estivemos fazendo todas as pactuações,
organizamos, protocolamos, firmamos uma série de parcerias com a PM, com o
governo do estado, que nos deu todo um apoio e assegurou toda uma estrutura,
seja ela de caráter físico, que é no caso o Executivo que proporciona, seja ela
de instrução, orientação e articulação. Nós montamos justamente nessa
perspectiva, de oferecer  uma modalidade diferenciada em Coração de Maria,
onde a gente possa contemplar, em que a população possa ascender mesmo, nesse
processo de ensino”.

A secretária acentua que o ensino das escolas
militares é realmente um dos melhores do IDEB (Índice de Desenvolvimento da
Educação Básica) e que vale a pena se investir neste modelo de Gestão
Compartilhada em Coração de Maria. Islomane Viana destaca que todos da gestão
municipal estão muito empenhados por ofertar uma educação de qualidade, seja
ela em que modalidade for, não só na militar, mas também no fundamental I,
creche. “Estamos nos empenhando nesse processo de educação no município.
Dentro da gestão compartilhada, existe um diferencial. O CPM [Colégio da
Polícia Militar] em si é uma parceria do estado com a Polícia. Segundo
orientações que nós  tivemos do comandante geral da Bahia [Luziel
Andrade], estes [CPM] são do estado, mas no nosso processo, nosso convênio
firmado, os professores são do município, a direção pedagógica fica a par do
município e a direção militar vem com todo um caráter diferenciado da polícia
militar mesmo, que fica responsável por essa outra parte. Então são duas
gestões, é uma gestão compartilhada, por ter direção militar e direção
pedagógica”, explica.

A escola escolhida para Gestão Militar
Compartilhada foi o Colégio Municipal Manoel Novais e que passou por
readequações de alguns espaços, montando o que era necessário para acolher a
proposta, segundo a secretária.

Fonte : Panorama Geral

admin