Para não perder consulta, paciente diz que aceitou possibilidade de ir de Barrocas até Salvador em pé no ônibus da saúde

Em relato enviado para a Redação do JNV nesta quarta-feira (22), uma dona de casa barroquense que havia marcado consulta médica no Hospital da Mulher na Capital do Estado, relatou que, apesar de ter feito todo o procedimento, o seu nome não apareceu na relação (lista), foi alertada pelo motorista do ônibus que, poderia seguir, mas caso todos os pacientes chegassem para a viagem ele teria que ir em pé até o destino final.

O caso aconteceu justamente um dia após o prefeito municipal ter apresentado um veículo Renault Master de 16 lugares, com ar condicionado, (ver aqui) adquirido segundo ele, com recursos próprios para atender a necessidade da Secretaria Municipal de Saúde no transporte de pacientes para Feira de Santana e Salvador.

Abaixo o relato da paciente que pediu para não ser identificada:

“Venho através dessas palavras relatar um fato que aconteceu comigo ontem (dia 21). Através da Secretaria de Saúde de Barrocas, consegui uma consulta ontem no hospital da mulher em Salvador. A moça da marcação daqui de Barrocas me ligou para eu pegar o papel do agendamento da consulta, e pediu para eu marcar o carro da saúde que leva o pessoal para Salvador. Isso ocorreu na quinta-feira, fui, marquei a vaga no carro para ir na terça feira dia 21/05, ficou agendado minha vaga. Pois, quando cheguei ontem, meu nome não estava na lista. O motorista fez a chamada de todos que estavam na lista, faltando alguns dos povoados, aí ele fez a proposta: (eu levo você, mas quando o pessoal da lista chegar você fica em pé e sede o lugar para o nome que esta na lista), eu teria que ir de Barrocas à Salvador em pé, sabendo que eu tinha agendado e meu nome não estava na lista. Isso não aconteceu só comigo mas sim com outras pessoas, eu aceitei a proposta pois não iria perder a consulta que levou meses para conseguir marcar” relatou.

Felizmente a paciente acabou viajando sentada, pois uma pessoa que estava na tal lista não compareceu, mas a situação a deixou preocupada e até constrangida: “Me senti muito humilhada, e principalmente chateada” afirmou.

Redação CN