INDIGNAÇÃO: Moradores denunciam maus-tratos de animais numa casa em Conceição do Jacuípe

Uma situação de crueldade contra animais tem indignado os moradores da Rua C, que fica localizada atrás do chafariz, na Urbis I, em Conceição do Jacuípe. Eles buscam providências para a situação de animais presos no fundo de uma casa. Um dos animais morreu, aparentemente de fome.

No fundo da casa alugada, há pouco mais de um ano, por um homem de prenome Marcos, é possível ver o gato morto preso por uma corrente, próximo a uma vasilha branca, atrás da toalha. Os outros animais correm o mesmo risco, caso não seja tomada nenhuma providência. Eles estão presos nessa gaiola, onde é possível ver sapatos, um bloco e peças de roupas na parte superior.

“Ninguém aguenta mais essa situação, sem falar do mau cheiro insuportável”, revela um morador. As pessoas querem saber onde o homem se encontra para que ele possa retirar o gato morto e dar um destino digno para os outros animais. Marcos, que se identifica como cuidador de cães e gatos, saiu da casa alugada e ninguém sabe do seu paradeiro. Algumas pessoas alegam que ele ainda mora na casa, mas os vizinhos contestam essa alegação pelo estado do imóvel. Eles informam que enfrentam essa situação há mais de uma semana.

Vale salientar que maus-tratos ou crueldade contra animais é crime previsto na Constituição Federal Brasileira e na Lei Federal nº. 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, como descrito a seguir:
Lei de Crimes Ambientais (nº. 9.605)
“Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.
§ 1º. Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§ 2º. “A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.”

Redação CN