‘Acordou revirando os olhos, cuspindo água’, narra jovem que salvou idoso no Dique

Nem todo herói usa capa. No caso mais recente, ocorrido nessa terça-feira (18), eles usavam apenas bermudas vermelhas e azuis e não titubearam para salvar a vida de Vilson Almeida Batista, 72 anos, que teve um mal-estar dentro do carro que dirigia, capotou e caiu dentro do Dique do Tororó.

Breno Nascimento, 18, Luan Dias Nascimento, 19, Lázaro Vinícius de Araújo, 15, Genilson Nascimento, 24, e Alexandro Ribeiro, 17, foram os responsáveis pelo resgate do idoso. Moradores da região, eles estavam batendo o baba sagrado de toda semana na pista da região, que estava fechada para a passagem de carros. Isso porque, a poucos metros de lá, na Fonte Nova, craques como Daniel Alves e Philippe Coutinho entrariam em campo com a camisa da Seleção Brasileira, para um jogo contra a Venezuela, pela Copa América.

O baba dos meninos, que costuma acontecer em dia de quinta, na quadra dos Barris, excepcionalmente aconteceu naquele dia e horário. O movimento era intenso, com torcedores que planejavam curtir o jogo do Brasil. De repente, um carro desgovernado desceu a Ladeira da União, capotou e foi arremessado na água.

“A gente estava jogando bola a uns 20 metros de onde o carro desceu da ladeira. Ele passou mal, então meteu a cara no volante e já desceu buzinando, sem controle. Uma mulher começou a gritar falando que tinha gente dentro, aí fomos ajudar. Foi muita sorte não pegar em ninguém, porque uns 20 segundos antes tinha muita gente atravessando ali na pista, muita gente mesmo, por causa do jogo”, contou o motoboy Genilson, que é nascido e criado na região e conhece bem as águas do Dique, onde já nadou. Hoje, segundo ele, não faz mais, pois “já passou dessa fase”.

Alexsandro, que é estudante, também é nascido e criado no bairro. No entanto, não fazia planos de ter contato com as águas escuras do Dique.

“Foi a primeira vez que eu caí nessa água, porque eu tenho nojo. Jogam muita porcaria aí. Além disso, eu tenho medo, porque eu já vi muita gente morrendo afogada ali. Eu não pensei em nada, só pulei. Eu queria ajudar a salvar”, disse.

Os cinco amigos moram na mesma região, bem pertinho do Dique e alguns deles são parentes, como Genilson, Luan e Breno, que são primos. Já o idoso que sofreu o acidente é vizinho deles e mora a alguns metros de distância, na própria ladeira onde ocorreu o acidente. Ele estacionava o carro na porta de casa quando passou mal e perdeu o controle. Segundo os garotos, eles e o motorista se conheciam de vista e sempre trocavam cumprimentos.

Redação CN