Jovem vive em estado de abandono em Feira de Santana

Um jovem que vive nas ruas de Feira de Santana em estado de abandono está com a vida ameaçada. Gabriel Vinicius tem 21 anos, está esquelético, debilitado e é provável que tenha alguma enfermidade. Ele fica em deslocamento entre a parte interna do túnel da Maria Quitéria e o terminal de BRT na Avenida Getúlio Vargas e muitas pessoas que passam por esses locais, se sensibilizam com a situação do jovem.

Militante do Movimento População de Rua, Edcarlos Venâncio, disse ao Acorda Cidade que já tomou conhecimento da situação do jovem. Ele afirma que o primeiro contato com Gabriel Vinicius ocorreu há aproximadamente 90 dias e que ele não pode ser tirado a força da rua.
“Acreditamos na metodologia da convivência, se aproximando. Ele não vai abrir toda a realidade da vida dele em um primeiro momento quando eu chego pra saber o que ele tem. Tivemos contato com ele, que tem uma fragilidade de saúde e precisa ser escutado. A unidade de saúde que temos hoje no município, através do SUS, tem uma metodologia mais próxima e Gabriel é a prioridade da prioridade. Não podemos tirar ele a força da rua para cuidar dele, temos que conquistar a confiança. Ele é de pouca conversa, mas ele disse que é de Minas Gerais”, informou.
Segundo Edcarlos Venâncio, Gabriel sempre muda de espaço nas ruas da cidade e muitas pessoas têm ajudado ele, como grupos que distribuem sopas e comidas, além de pessoas que passam e se solidarizam com a situação dele, porém o jovem não tem todas as refeições necessárias durante o dia.

A enfermeira Darlene Santos do programa Consultório na Rua, da Secretaria Municipal de Saúde, informou que por várias vezes tentou ajudar Gabriel, mas ele não aceita.
“O primeiro contato com ele foi no mês de março, que a gente acredita que foi provavelmente quando ele chegou em Feira de Santana. Nós tentamos conversar com ele e logo no início ele ficava bastante arredio, não queria conversa, sempre pedia que o deixássemos sozinho e nós respeitamos o espaço dele. Ao longo dos dias e dos meses, sempre tentamos uma aproximação. Quando conseguimos, ele nos relatou um pouco sobre sua história de vida, os motivos pelos quais saiu de casa e disse que tem depressão”, informou.
Segundo Darlene Santos, vários profissionais como psicólogos, médicos e assistentes sociais do programa Consultório na Rua, já conversaram com Gabriel e perceberam que o estado de saúde do jovem vem sempre se debilitando, mas que já houve a tentativa de internação voluntária, porém ele não quis.
“Já conseguimos uma vaga em um abrigo, mas Gabriel não aceitou. Quando o Samu chegou para levá-lo a uma unidade de saúde, ele se negou e saiu andando pela avenida. Entendendo que Gabriel precisa de uma internação, articulamos com a Guarda Municipal e o Centro Pop realizar uma ação para levar Gabriel para uma avaliação em uma unidade de saúde”, disse.
Essa ação está programada, segundo a enfermeira, para ocorrer ainda nesta semana. De acordo com ela, essa medida será necessária para ofertar a Gabriel uma melhor qualidade de vida e saúde.

Redação CN