2 de julho: Quebrada tradição dos Encourados de Pedrão.

2 de julho: Quebrada tradição dos Encourados de Pedrão.
Impedidos de participar do histórico desfile do 2 de julho, os Encourados de Pedrão protestaram durante o percurso do cortejo. O grupo de vaqueiros integra a festa cívica desde 1826 para homenagear a luta dos seus antepassados.

Os vaqueiros são da cidade de Pedrão e, tradicionalmente, desfilavam à frente dos carros do caboclo e da cabocla, em cavalos e vestidos a caráter.

Conta a história que, sob o comando do Frei Brayner, 39 homens pedronenses adotaram como fardas o chapéu de couro, o gibão, algibeiras longas, calças de algodão branco ou couro, surrão ou saco às costas, clavinas, espingardas ou bacamartes, espadas ou facas grandes, e marcharam montados a cavalo para unirem-se ao exército vindo de Cachoeira.
A participação dos Encourados de Pedrão foi de suma importância na luta pela independência da Bahia e este fato não pode ser esquecido ou relegado ao passado, apenas perdido num baú de lembranças.

Redação CN