Santo Amaro – Suposto dono da Bambuzal ameaça estudantes na frente de policiais militares; “a conversa com você é na bala”

A redação do Bahia Política recebeu nesta segunda-feira (26), vídeos que mostram uma situação de conflito entre o suposto dono de um contrato da empresa Bambuzal (com a Prefeitura de Santo Amaro), com alunos usuários do transporte escolar.

Em um dos vídeos, o homem, que não teve o nome identificado pela nossa reportagem, alega que alguns dos estudantes teriam danificado o ônibus e que por isso, não haveria transporte nos próximos dias – até quarta-feira (28). Os estudantes se defendem, afirmando que nenhum dos que estavam presentes cometeu o ato de depredação, nem viram quem fez.

Em outro vídeo, o homem ameaça um dos alunos dizendo que “a conversa [com ele] é na bala” e chama o estudante para briga com xingamentos: “cunha dentro, filho da p***!”. Em meio à discussão, o homem para uma viatura da polícia (identificada com o prefixo R.0094) que passava no momento, para fazer a denúncia do suposto vandalismo. Conversando com os policiais, o homem volta a ameaçar o estudante com as mesmas palavras, ao passo que os policiais não tomam nenhuma atitude em relação ao fato.

De acordo com Internauta cidadão, o homem que aparece no vídeo é dono da Empresa Bambuzal que assinou contrato com a Prefeitura de Santo Amaro no dia 13 de julho de 2017, para prestação do serviço de transporte com motorista, pata atender a demanda de Transporte Escolar no município. O valor total do contrato é de R$ 2.506.619,28 (clique aqui para ler o contrato). Em 28 de setembro do mesmo ano, foi firmado o primeiro termo aditivo de 25%, no valor de R$ 626.571,88 (clique aqui para ler o aditivo).

Na cláusula segunda – das obrigações da contratada – o documento contratual evidencia que “o) Em caso do quebra, avaria, incidente, acidente de algum dos veículos locados ou qualquer outro motivo que contribua para o sua ausência, visando realizar os transportes escolares, ficará a CONTRATADA, obrigada a substituir no prozo máximo de 24 (vinte o quatro) horas o veículo faltoso, a avisar a Secretaria de Educação; p) A CONTRATANTE não se responsabilizará, por quaisquer danos materiais ou pessoais, para com os veículos e funcionários da CONTRATADA, bom como, a terceiros, em consequência de acidentes e incidentes de trânsito, assaltos, roubos, ou quaisquer outros fatos aqui não previstos que causem os referidos donos.” Neste sentido, o homem, quando se recusa a realizar o serviço para o qual foi contratado, está realizando quebra de contrato, na clausula citada anteriormente.

Confira os pagamentos realizados pela Prefeitura de Santo Amaro à Empresa Bambuzal, nos anos de 20172018 e 2019 (clique no ano para visualizar), de acordo com dados do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia – TCM.

Em outro vídeo encaminhado á redação do BP, um estudante mostra um ônibus escolar com apenas um “pisca” funcionando para sinalizar que um veículo na estrada rodando já no início da noite;

Tentamos contato com o comando 20ª CIPM em Santo Amaro, com a Prefeitura Municipal e a Empresa Bambuzal mas até o fechamento dessa matéria, não obtivemos resposta.

Joelson Gama

Redação CN