HAM em Coração de Maria amanhece com portas da emergência fechada e população se revolta.


O Coração Notícias vem informando nos últimos dias a ameaça dos dirigentes do Hospital Angelo Martins em fechar as portas devido a falta de repasses do poder público municipal. Antes o que era considerado como algo inimaginável, se tornou realidade. Na manhã desta sexta-feira (04), as portas da unidade hospitalar amanheceram fechadas para os atendimentos de urgência e emergência.
A reportagem do Coração Notícias esteve na área externa do HAM e se deparou com as portas trancadas e com avisos afixados informando que os atendimentos foram interrompidos. No momento em que estávamos no local, algumas pessoas buscaram atendimento e conversaram com nossa equipe.
“Minha cunhada precisou de atendimento na emergência do HAM e não tinha médico. Estava fechado e ela foi para a HACM em Conceição do Jacuipe. Lá, ela mentiu dizendo que era da cidade e foi atendida”, disse a paciente que não quis se identificar.

As partes enviaram notas de esclarecimentos:

NOTA DE ESCLARECIMENTO DO HOSPITAL ANGELO MARTINS

Coração de Maria, 04 de outubro de 2019.
O Hospital Angelo Martins vem tornar publico e esclarecer a suspensão do atendimento de emergência em nossa unidade. Na manhã desta sexta-feira (4), a direção do Hospital Angelo Martins suspendeu o atendimento da emergência por falta de repasse do recurso em convênio firmado com a Prefeitura de Coração de Maria. Estamos trabalhando diuturnamente, prestando assistência à saúde dos munícipes de Coração de Maria e região. Durante pouco mais de dois anos de reabertura do Hospital, é de salutar importância informar que já foram realizados cerca de 56 mil atendimentos só nesta unidade, mas infelizmente o prefeito não tem se mostrado sensível às questão da saúde do povo Mariense e região, deixando de fazer o repasse que é assistido pela Lei 13.105, de 16.03.2015 Art. 833. São impenhoráveis: IX–os recursos públicos recebidos por instituições privadas para aplicação compulsória em educação, saúde ou assistência social;
É improcedente a afirmação de alguns servidores da prefeitura espalham a notícia e sustenta que a verba encontra-se bloqueada pela justiça, e assim deixando de fazer o repasse para o HAM, uma vez que nosso corpo jurídico conseguiu através de ações realizar o desbloqueio da verba, onde a decisão judicial da suspensão do bloqueio autorizava o repasse do recurso. Notificamos o Srº prefeito através de ofício e aplicativo de mensagens, para que se tornasse de conhecimento do mesmo e realizasse o pagamento. Portanto, em linha com os princípios e compromissos éticos que norteiam nossa atividade, cumpre-nos alertar que tal situação caracteriza evento de força maior, alheio à nossa vontade e controle, fizemos o possível, sem medir esforços buscando alternativas, para que não acontecesse o fechamento da emergência, porém, não houve outro jeito. A falta de repasse por parte do poder municipal de Coração de Maria, representada pelo prefeito Edmario Paim, nos deixa impossibilitados de atender as demandas que a população necessita, até que tal situação se normalize.

Atenciosamente,
Direção do Hospital Angelo Martins

NOTA DE ESCLARECIMENTO PREFEITURA DE CORAÇÃO DE MARIA

Diante da atitude desonesta e desonrosa da Direção do Hospital Ângelo Martins, de responsabilizar a Prefeitura Municipal pela suspensão do atendimento de emergência à população Cormariense, vimos tornar público a verdade dos fatos:

A Prefeitura de Coração de Maria possui com o Hospital Ângelo Martins, uma parceria para o estabelecimento de cooperação objetivando a manutenção de atendimento médico de urgência e emergência à Comunidade.
Repassa mensalmente a quantia de 70.000,00, para ajudar nas despesas e complementar o valor que o HAM já recebe do SUS e do Governo do Estado.
Acontece que o Hospital realizou diversas demissões sem observar/respeitar os direitos trabalhistas dos funcionários e, com isso, foi alvo de diversos Processos Trabalhistas.
Ocorre que, em razão dos referidos processos, a Justiça do Trabalho determinou a Prefeitura de Coração de Maria que realize o bloqueio dos valores de faturas do Hospital, para pagamento dessas Reclamações Trabalhista em que o HAM figura como Reclamado.
Vale ressaltar, que é dever do Prefeito cumprir a determinação judicial, sob pena de responder por crime de desobediência a ordem judicial, conforme previsto no artigo 330 do Código Penal Brasileiro.
É ato vergonhoso, covarde e malsã deixar de atender a população de Coração de Maria sob alegação de inverdades.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CORAÇÃO DE MARIA

Redação CN