Carros usados em assalto a agência dos Correios e sequestro de casal são apreendidos na Bahia

Casos aconteceram na cidade de Itabuna, no sul do estado. Ninguém foi preso.

Os dois carros usados em um assalto a uma agência dos Correios e em um sequestro de um casal, na cidade de Itabuna, no sul da Bahia, foram apreendidos na tarde desta terça-feira (15), por policiais da Polícia Civil. Ninguém foi preso.

Segundo informações do delegado Humberto Matos, as investigações apontam que os veículos foram utilizados nos dois crimes e abandonados em uma estrada vicinal que liga o bairro Ferradas á Buerarema. Os policiais encontraram roupas e extintores da agência de Correio dentro dos carros.

“Temos alguns suspeitos, já sabemos que um desses veículos foi utilizado no assalto dos Correios, que as investigações estão a cargo da Polícia Federal e nós estamos trocando informações. Então está caracterizado o sequestro e o crime de roubo”, disse o delegado.

Um casal foi sequestrado na rua da casa onde mora, no bairro Monte Cristo, na cidade de Itabuna, no sul da Bahia, na segunda-feira (14). Os dois não tiveram ferimentos e foram liberados horas após serem abordados. Entre os suspeitos do crime estava uma mulher com farda da Polícia Militar do estado.

“Ninguém desconfiou, porque não iam desconfiar de uma policial militar fardada. Levaram todo o dinheiro e liberaram o marido dela em determinado ponto da cidade e ela em outro ponto da cidade”, disse Humberto Matos.

De acordo com o delegado Humberto Matos, o grupo – quatro homens e a mulher fardada – abordou o casal e o levou até a empresa em que uma das vítimas trabalha.

Lá, eles fizeram com que ela pegasse uma quantia de dinheiro, que não foi revelada pela polícia, na tesouraria da empresa. Câmeras de segurança do estabelecimento registraram parte da ação e filmaram o momento em que a mulher, vestida como policial, acompanha a vítima dentro da empresa.

A delegacia da cidade detalhou ainda que uma das vítimas foi deixada na BR-415, nas proximidades do bairro São Roque. A outra foi liberada minutos depois, em outro ponto da cidade.

O G1 entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar para saber se a suspeita faz parte da corporação ou apenas usava a farda da instituição, mas ainda não obteve resposta.

No entanto, o comando da Polícia Militar de Itabuna informou que a mulher suspeita não é policial, e que a PM não tem como fazer controle do fardamento. O comando ressaltou ainda que esteve em todas as lojas que vendem fardamento em Itabuna, e todas as vendas recentes foram feitas apenas para policiais.

G1 Bahia.

Redação CN