Irará: Mulher dar entrada no Hospital com sinais de violência, morre e marido é preso


No início da tarde desta quinta-feira (28), deu entrada no Hospital Maternidade Dr. Deraldo Miranda, já em processo de óbito Sandra Ferreira de Jesus. Policiais Civis foram acionados pelo Hospital para ser procedido o levantamento cadavérico.

O Dr. Antonio Álvaro Schramm – Delegado de Polícia de Irará e sua equipe ao chegar ao hospital, notaram que a vítima identificada como sendo Sandra Ferreira de Jesus, 31 anos, apresentava sinais de suposta violência pelo corpo, hematomas e sangramento pela boca e reto, sendo assim morte suspeita.

Apesar das alegações do companheiro e da cunhada que afirmaram que Sandra teria vindo recentemente da cidade de Terra Nova e alegava sentir fortes dores de cabeça e vomitava sangue e teria ingerido Paracetamol antes de ter sido levada ao hospital.

Desconfiados das crises de choros exacerbados de Gilson da Silva Reis, 30 anos, companheiro de Sandra, foi convidado a comparecer na Delegacia de Polícia, bem assim os demais familiares presentes para o registro do procedimento legal.

Na Unidade Policial, iniciou uma coleta de informações com relação ao caso, sem conseguir elementos incriminadores, porém, foi levantado após verificação no sistema, que havia mandado de prisão em aberto contra o Sr. Gilson da Silva. Sendo cumprido imediatamente pelos investigadores, após se certificarem com a vara crime quanto à validade do mandado de prisão.

Conforme informações da polícia a reportagem do BT, o mandado de prisão contra Gilson se refere à condenação por roubo na cidade de Santanópolis.

Quanto a morte repentina de Sandra, diante da evidência de sinais de violência, inclusive com o pescoço com sinais de haver sido “engravatado” e várias lesões e manchas espalhadas pelo corpo, a polícia suspeita de que ela tenha sido assassinada. Conforme a polícia, uma das linhas de investigação é justamente a suspeita de que o companheiro da vítima tenha envolvimento com a morte de Sandra. As apurações continuam.

Fonte: Plantão DT/Irará.

Redação CN