Infectologista em entrevista Alex Babosa orienta o que fazer caso a pessoa seja atacada pelo maníaco da seringa

Com a onda de ataques com seringa que vêm acontecendo em Salvador e Feira de Santana , nada mais indicado do que aprender o que fazer se caso, for vítima de algum maníaco por ai. O Hospital Couto Maia, unidade especializada em doenças infectocontagiosas na capital baiana, já atendeu dez casos de pacientes que chegaram relatando terem sido furados por seringa nas ruas. O balanço foi confirmado , pela Secretaria de Saúde.

Para saber como agir em uma situação como esta, o Varela Notícias entrevistou a infectologista Ceuci Nunes, para orientar as pessoas a agirem de maneira correta, caso sejam agredidas. “Primeiramente, o ideal é a pessoa vê o que tem dentro da seringa, porque pode ser que a seringa esteja vazia ou com algum fluido. Agora que os casos estão muito divulgados, podem aparecer vários tipos de acidentes, que não tenham nada a ver como o maníaco”.
“Caso a pessoa seja atingida por uma pessoa desconhecida, e realmente exista uma lesão no local, ai realmente precisamos fazer as prevenções das doenças transmissíveis através do sangue. Ai a pessoa deve ir ao hospital, e lá o caso será avaliado, as vacinas serão fornecidas, contra hepatite b, e em alguns casos o medicamento contra o HIV”.

A médica explica ao blogueiro Alex Barbosa Coração Noticias, que para fazer uso das medicações é preciso ter convicção de que na seringa havia sangue fresco: “Algumas medicações como o coquetel causam fortes efeitos colaterais, então é necessário que o caso seja observado com cuidados e que a medicação só seja fornecida se realmente houver necessidade”.

Redação CN