Magnata desabafa após promover aglomeração: ‘Quase 2 anos sem trabalhar é desesperador’

OUÇA O ÁUDIO DA MATÉRIA 

O cantor Bruno Magnata, vocalista da banda La Fúria, se pronunciou nas redes sociais após ser flagrado promovendo aglomeração em tempos de pandemia da Covid-19.

O artista, que realizou uma apresentação no espaço Índio Top Show, em São Cristóvão, Salvador, na noite de segunda-feira (24), disse estar desesperado por não poder voltar aos palcos para exercer sua profissão.

Em um desabafo no Instagram, Bruno, que criticou a aglomeração durante a eleição de 2020, disse que só aceitou o convite por precisar de dinheiro para  pagar as contas.

“Confesso que as vezes é desesperador, sabia? Você não tem noção do que é ficar quase 2 anos sem trabalhar. Ai a gente sai na rua e vê ônibus lotado, fila de banco, a própria política que aconteceu e a gente recebe um convite para ganhar um trocado, para poder pagar as contas, comprar uma comida, e a gente não tem saída. […] Não justifica também o erro. O convite que eu fui cantar, para ganhar um dinheiro, pagar minhas contas. Tem tempo que a gente não trabalha. Peço desculpas para geral”, disse.

Magnata ainda fez um apelo as autoridades, para que a classe artística seja melhor assistida. “Peço que as autoridades que olhem pela classe da música, que tá todo mundo sofrendo, quase 2 anos sem trabalhar. A gente tem que se virar. Não justifica o erro”.

O evento, noticiado pela TV Bahia, reuniu além do vocalista da La Fúria, um cantor conhecido como o ‘Cowboy do Pagode’. 

O local onde a festa foi realizada não tinha alvará de autorização para atividade sonora e descumpriu o decreto do governo que proíbe a realização de eventos na Bahia independente do número de participantes.

O espaço foi notificado e poderá ser interditado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur).

Mande fotos e vídeos com os acontecimentos de seu bairro ou sua cidade para o nosso WhatsApp (75) 9 8123-9001 ou para nosso email [email protected]
Siga o site Coração Noticias  no Facebook, Twitter e no Instagram.
Fonte: Bahia Noticias

Redação CN