Referência em pediatria e obstetrícia no interior da Bahia, Hospital Estadual da Criança comemora 11 anos

A unidade hospitalar também conta com fisioterapeutas, nutricionistas, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, farmacêuticos, assistentes sociais, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Com mais de 290 mil atendimentos nas Emergências Pediátrica e Obstétrica, o Hospital Estadual da Criança (HEC) completa nesta quinta-feira (26) 11 anos desde a sua fundação.

A unidade, inaugurada pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) e gerida há seis anos pela Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil (LABCMI), também já realizou mais de 29 mil cirurgias e mais de sete mil partos.

Referência em média e alta complexidade, o HEC é também, desde o ano passado, uma das unidades da Sesab aptas para atendimento de modo referenciado para o tratamento da Covid-19. Além das comemorações pelo aniversário de 11 anos, a unidade também celebra 10 dias sem admitir pacientes na UTI Obstétrica Covid-19.

Segundo a Diretora Operacional, Lívia Leite, “a comemoração este ano é em dobro, pois além dos 11 anos de funcionamento, realizando atendimentos para crianças e gestante do estado da Bahia, ainda estamos colhendo resultados positivos no combate à Covid-19. Isso reforça ainda mais a importância do HEC durante todos esses anos para a saúde pública do interior do Estado. Esses resultados são possíveis graças aos esforços de todos que fazem parte do hospital, buscando sempre um cuidado especializado, humanizado e seguro.’’

Atualmente, o HEC, possui 253 leitos e está apto para atendimento de média e alta complexidade, através do Acolhimento Com Classificação de Risco (ACCR); serviço de diagnose e terapia; internação; atividades de ensino e pesquisa; e ambulatório de especialidades médicas pediátricas, dentre elas Urologia, Pneumologia, Cardiologia, Ortopediatria e Traumatologia, Neurologia, Nefrologia, Infectologia, Cirurgia Pediátrica e Oncologia.

A unidade hospitalar também conta com fisioterapeutas, nutricionistas, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, farmacêuticos, assistentes sociais, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

FONTE: Acorda Cidade

Redação CN