Feira: Defesa de médico que matou colega argumenta por homicídio culposo de cliente

Os advogados do médico Geraldo Freitas de Carvalho Júnior se posicionaram pela tese de que o cliente deve responder por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. Geraldo é réu confesso no crime que vitimou o também médico Andrade Lopes Santana, de 32 anos. O corpo da vítima foi encontrado no dia 28 de abril em um trecho do Rio Jacuípe (lembre aqui).

Ao Acorda Cidade, um dos defensores, Eustáquio Neto, afirmou que o disparo também ocorreu devido ao funcionamento da arma de competição que estava com Geraldo no dia do crime, já que o equipamento dispara com simples toque no gatilho. Segundo o Acorda Cidade, o depoimento do acusado no fórum Filinto Bastos, ocorrido nesta sexta-feira (26), durou mais de 10 horas e 30 minutos.

Ainda de acordo com a versão do advogado, no dia do crime, os colegas estavam em uma moto aquática. Andrade estaria pilotando o veículo quando houve uma discussão por conta de mensagem de celular. A vítima teria dado uma cabeçada para trás, ao que ocorreu o disparo com a arma de competição que estaria com Geraldo Freitas.

O depoimento do réu foi prestado à juíza Márcia Simões Costa. A audiência de instrução começou às 9h.

Redação CN